Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog Restart

A Restart é um centro de formação profissional que constitui um espaço único de formação, produção e animação cultural em Lisboa.

Cultura É Trabalho | Ciclo de Debates

Está a decorrer até ao próximo dia 28 de Maio o ciclo de debates dedicados ao tema "Cultura é Trabalho", que pretende dar uma perspectiva sobre a realidade do trabalho nesta área no nosso país.

São abordadas as necessidades e as dificuldades, bem como as situações de exploração, precariedade e trabalho sem direitos. Também o desmantelamento das estruturas do Estado no apoio à cultura e às artes serão tema em foco, sem esquecer que ainda assim, é necessário continuar a incentivar os artistas no seu processo criativo.

Os debates serão conduzidos no sentido de dar a conhecer a situação actual de cada segmento da actividade cultural.

Segue a planificação deste ciclo de debates:
_ 22 de Maio, Adufe-Bar, 19h
Tema: Música
Convidados: Helder Moutinho (músico), Manuel Rocha (músico), Rui Gaio (músico)

_ 23 de Maio, Auditório Lagoa Henriques - Faculdade de Belas Artes - UL, 17H30
Tema: Artes Plásticas e Visuais
Convidados: Ana Isabel Ribeiro (directora da Casa da Cerca), Francisco Palma (artista plástico e dirigente da ARTESFERA), Sérgio Vicente (artista plástico e professor na FBA-UL)

_ 25 de Maio, Biblioteca da Casa do Alentejo, 21h
Tema: Património
Convidados: Regis Barbosa (arqueólogo e dirigente do STARQ), Jacinta Bulhão (arqueóloga)

_ 27 de Maio, Teatro A Barraca, 19h30
Tema: Teatro e Dança
Convidados: Ana Nave (actriz e encenadora), Helder Costa (encenador), Sílvia Pinto Coelho (coreógrafa, bailarina e investigadora)

_ 28 de Maio, Bicaense, 21h
Tema: Cinema
Convidados: Margarida Gil (cineasta e presidente da Associação de Realizadores), Vasco Pimentel (cineasta e engenheiro de som).

Sinais de Fumo | Programação de Novembro

 

No próximo dia 24 de Novembro, o Espaço do Tempo no Convento da Saudação, em Montemor-o-Novo, recebe mais uma sessão dos debates Sinais de Fumo - Conversas Para Além da Crise. Neste mês de Novembro, o debate é dedicado à Sociedade de Informação e Conhecimento - As Fronteiras da Tecnologia nas Estratégias de Desenvolvimento.

 

A sessão de dia 24 de Novembro será moderada por Carlos Vaz Marques e o painel de oradores é composto por António Câmara (Professor Catedrático, CEO da YDreams), José Bragança de Miranda (Professor Catedrático, doutorado em Ciências da Comunicação) e Carlos Martins (doutorado em Geografia, Presidente da Agência de Desenvolvimento das Indústrias Criativas e Director Executivo de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura).

 

O projecto Sinais de Fumo constitui um desafio para compreender como somos e porque somos assim, através da realização de debates que gerem uma produção intelectual estimulante e enriquecedora.

 

O debate tem hora marcada para as 11 horas da manhã.

 

Saibam mais sobre o projecto Sinais de Fumo e O Espaço do Tempo.

Doclisboa'12 | O cinema e a crise na Europa do Sul

 

No próximo dia 26 de Outubro (sexta-feira), pelas 15 horas, na Culturgest, o Doclisboa'12 promove um debate sobre a a situação do cinema Europa de Sul face à situação da crise actual.

A crise financeira global, da zona euro e a própria crise política da União Europeia, sobretudo manifestas nos países da Europa do Sul, têm tido consequências drásticas nas políticas culturais públicas, designadamente no apoio ao cinema. O caso de Portugal é particularmente relevante, com a extinção do Ministério da Cultura e a sua respectiva relegação a Secretaria de Estado. Os cortes totais à produção e aos organismos responsáveis pela promoção e difusão de géneros específicos - casos da Apordoc, Agência da Curta-Metragem e Casa da Animação, tornam a situação ainda mais crítica.

Contudo, o caso português não é único. As incidências da crise são em particular salientes precisamente nos três países europeus em que, nos últimos anos, havia mais fortes sinais de renovação cinematográfica: Portugal, a Grécia, a Roménia ou a Hungria. Os dois últimos, embora não fazendo parte da zona euro, encontram-se a braços com sérias crises do ponto de vista económico, político e social. Na Hungria, os cineastas estão na linha da frente no combate à tendência autocrática e xenófoba do presente governo. Também em Itália e em Espanha, outros dois países enfrentando graves situações financeiras, são drásticos os cortes na cultura.

Neste sentido, o Doclisboa pretende expôr as situações destes países e debater as perspectivas globais sobre a situação do cinema na crise na Europa de Sul, num espírito solidário e de resistência das expressões artísticas e culturais.

A entrada é livre, mediante levantamento do bilhete no próprio dia.